Mixagem – orientações gerais

O que é  mixagem? 

  • Wikipédiaatividade pela qual uma multitude de fontes sonoras é combinada em um ou mais canais. As fontes podem ter sido gravadas ao vivo ou em estúdio e podem ser de diferentes instrumentos, vozes, seções de orquestra, locutores ou ruídos de platéia. Durante o processo, os níveis de sinal, conteúdos de freqüência, dinâmica e posição panorâmica são manipulados e efeitos como reverberação podem ser adicionados. Tal tratamento prático, estético ou criativo é feito de modo a se ter um produto final com maior apelo ao ouvinte, e incorpora efeitos e habilidades que não podem ser conseguidos com uma performance ao vivo.

O que acontece exatamente? Existem variações enormes entre a mixagem de cada música, performance, gênero musical e também variações de acordo com a relação de trabalho estabelecida e o grau de criatividade permitido. Conversaremos bastante antes de iniciar o trabalho para identificar a sonoridade desejada. Nesse sentido, tudo o que segue abaixo pode ser feito, mas não precisa necessariamente ser feito:

  • Edição geral do material gravado (cortes, fades, time stretch, clip gain)
  • Nivelamento de ganho/volume dos elementos que compõe o material
  • Aplicação de equalizadores/filtros
  • Aplicação de compressores/limitadores/expansores
  • Aplicação/ampliação/redução de efeitos de reverberação
  • Ajustes de polaridade e fase
  • Controle do campo estéreo
  • Aplicação de delay, flanger, phaser e demais efeitos baseados no tempo;
  • Aplicação de efeitos baseados no tom como pitch shifter e harmonizer;
  • Substituição ou acréscimo de sintetizadores ou instrumentos virtuais via MIDI
  • Substituição de sons de bateria e percussão
  • Reamplificação de instrumentos amplificados (guitarra, baixo, órgão, etc)
  • Automação de controles
  • Remoção de ruídos e artefatos indesejados
  • Re-afinação e correção de tom
  • Correção de tempo e ritmo
  • Etc…etc, etc, ad infinitum.

Enviando seu material para mixagem

  1. Exporte do primeiro ao último compasso, sem restrições, de modo que todos os canais tenham a mesma duração. Caso seja possível, monte os arquivos no programa da sua preferência para ter certeza que está tudo correto e exporte o resultado para servir como referência da música. Conversaremos sobre eventuais edições após minha avaliação preliminar do material.
  2. Exporte todos os canais de instrumentos e efeitos auxiliares que você considera importantes ou interessantes para o trabalho.
  3. Use sempre arquivos no formato wav ou aif , bit depth = 24 bits e o sample rate original da projeto para exportar. Não efetue conversões de bit depth ou de sample rate em nenhum arquivo. Consulte em caso de dúvida.
  4. Faça arquivos/canais com nomes informativos. Ex: Baixo 1 – Take 1 – DI.wav ou Caixa – Mic Superior.aif, Sintetizador 01-D#.wav, Loop 01A.wav e assim por diante. Não é necessário informar a localização de compassos – ver ponto #1.
  5. Sempre envie um arquivo de texto com informações sobre BPM e assinatura de compasso e/ou envie arquivos MIDI com eventuais variações de BPM e assinatura de compasso.
  6. Desligue todos os processadores do Master Bus/Stereo Output. Sim, todos. Sem exceção. Se você realmente faz questão deles gentileza enviar fotos ou screenshots das configurações que podemos conversar sobre o assunto, mas envie os arquivos sem qualquer processamento dessa natureza.
  7. É desejável desligar processadores eventualmente utilizados em cada um dos canais antes de exportar. Se você realmente tiver certeza sobre alguma sonoridade ou efeito e não deseja abrir mão dela envie uma cópia do arquivo processado e outra cópia sem qualquer processamento.
  8. Seja razoável nos níveis de volume/ganho e tente não passar de -6 dbfs em todos os canais. Caso possível, use como nível de referência um medidor VU calibrado em 0VU = -18dbfs e tente não pregar as agulhas.
  9. Envie notas gerais com suas intenções e idéias de sonoridade para os instrumentos e músicas que serão mixados. Indique alguns discos e músicas relevantes e tente comunicar tudo o que você considera importante para o projeto.
  10. Encorajo o uso Google Drive/Documents para trocar arquivos e planejar os projetos. Lembre-se de compartilhar todos arquivos e pastas com diogocborges@gmail.com, e não fique tímido – mande emails!

Condições

  • Valor mínimo: 200 R$ por música de no máximo 5 minutos.
    • Valor variável conforme a quantidade de músicas, sua duração, número de canais e tarefas necessárias (edição, conversões, MIDI, instrumentos virtuais, etc).
    • Faço orçamentos sem compromisso e posso fornecer uma amostra grátis razoável para você avaliar o trabalho.
  • Sessões presenciais no meu estúdio são possíveis.
  • Disponível para voice chat (Skype) e sessões remotas via VST Connect.

Interessado? Envie uma breve descrição do projeto para diogocborges@gmail.com

Advertisements